domingo, 13 de setembro de 2009

E o Cartão Vermelho Vai Para...

O Peter of Pan lançou-me este desafio que consiste em dar-me uma espécie de poder virtual para mostrar o cartão vermelho àquilo ou a quem me apetecer. Irei assim distribuir 10 cartões vermelhos, aleatórios, sem qualquer ordem de preferência, mas admito que a escolha foi muito difícil e se tivesse que mostrar mesmo a alguém ou a alguma coisa o cartão vermelho, não seriam 10, nem 100, talvez alguns milhares. Aqui vai:

1 - Mostro o cartão vermelho a todos os padres, bispos, arcebispos, seminaristas, freiras, enfim essa gente que lidera o clero, o Papa incluído, por tentarem vender a religião como se de um produto de beleza se tratasse, tirando usufruto disso a nível pessoal e aproveitando-se dos pobres coitados que acreditam nas suas "sábias" palavras. Incluo também neste cartão vermelho as duas velhotas da Igreja Jeová que, apesar de eu já ter dito várias vezes que não estou interessado e que não tenho tempo para essas coisas, elas insistem em tocar-me à campaínha nos meus dias de folga, bem cedo, quando ainda estou a dormir, inclusive aos domingos, dizendo que andam a "espalhar a palavra do senhor". É uma falta de respeito.

2 - Mostro a merda do cartão vermelho àquelas taxas irritantes que nos são cobradas pelos bancos. Ora, nós colocamos lá o nosso dinheirinho que tanto nos custa a ganhar e depois se o queremos levantar, é-nos cobrada uma taxa. Mas se eu quiser continuar com ele lá sem lhe tocar, outra taxa é cobrada. Se faço uma transacção, a bela da taxa mais uma vez. Taxa para aqui, taxa para ali, isto dezenas de vezes, multiplicado por milhões de clientes, é assim que os bancos enriquecem à nossa custa. Mais vale guardar o dinheiro debaixo do colchão.

3 - Um grande cartão vermelho a todos os políticos em Portugal, TODOS sem excepção, mesmo à jeitosa da Joana Amaral Dias, pela má política que praticam. Incluo neste cartão os corruptos deste país o que não quer dizer que todos os políticos sejam corruptos e vice-versa. Aprendam com os países desenvolvidos.

4 - Um cartãozinho vermelhinho a todas as pitas parvas que dizem que só comem uvas se não tiverem graínhas e as cerejas só se a empregada lhes tirar os carocinhos. Há gajas mesmo fúteis!

5 - Um big cartão vermelho a todos aqueles anúncios que prometem milagres e fazem magia. Falo dos anúncios a produtos de limpeza e detergentes que com um simples gesto são capazes de limpar uma divisão inteira. Ou basta uma gota de determinado produto para lavar uma pilha enorme de loiça suja. Mas há quem acredite nisto?

6 - Este cartão é para quem baniu a Manuela Moura Guedes da grelha da TVI. Eu até nem gosto muito dela, não via o programa dela, mas vamos lá ver uma coisa, ela era a única pessoa com tomates para enfrentar José Sócrates, ela "pegava o boi pelos cornos" sem qualquer tipo de pudor.

7 - E por falar em bois, um grande cartão vermelho para as touradas, os toureiros e tudo o que está ligado à tauromaquia deste país. Para mim não passam de uma cambada de frustrados e complexados que se acham os maiores só porque conseguem espetar umas farpas num animal inocente. Tomara que um boi bem bravo lhes enfie os cornos pelo cú acima.

8 - Mostro o cartão vermelho à justiça neste país que é talvez das coisas mais desorganizadas e lentas que já vi. Esperam-se anos se for preciso para ver um simples processo jurídico resolvido.

9 - Este cartão vai para as senhoras da limpeza do meu local de trabalho que, sim senhor nós até temos vários ecopontos espalhados, eu e os meus colegas até nos preocupamos em separar o lixo devidamente, mas depois vem a senhora da limpeza, de saco preto em punho, e toca a misturar tudo lá para dentro como se não houvesse amanhã. Vale bem a pena separar o lixo.

10 - Um grande, enormíssimo cartão vermelho a todos os exploradores deste país que vivem às custas de subsídios patrocinados pelo Estado, cujo dinheiro faz parte dos meus impostos e de outros tantos milhões de trabalhadores. Falo daqueles que andam frequentemente a saltar de emprego em emprego por forma a estarem o máximo tempo possível sem trabalhar e receber o subsídio de desemprego. E também daqueles que não produzem absolutamente nada para o país e só porque pertencem a etnias diferentes, ou têm famílias numerosas, vivem dos subsídios de inserção social e passam os dias de papo para o ar sem fazer nenhum.

E é isto, claro que passava mais cartões vermelhos, mas não saíamos daqui. Como tal, e assim manda o desafio, vou passar o testemunho a outros cinco cidadãos, para terem liberdade total de atribuír cartões vermelhos a quem ou ao que quiserem. São eles:

A Terceira Via
Blog do Silvestre
Épa Cum Catano
La Vie En Rose
Lost In A Thought

2 comentários:

Dylan disse...

Alguns cartões, são efectivamente bem distribuidos...

Maldonado disse...

Que engraçado, não sabia que me tinhas lançado esse desafio! :-o
Só hoje reparei nisso.
Alguém já mo tinha lançado, por isso já respondi.