terça-feira, 31 de março de 2009

Sobre a Playboy (Edição Portuguesa)

Não sou daqueles que foi a correr gastar 3,95€ para comprar a revista Playboy que saiu no Sábado. Isto porque me foi oferecida. À hora de almoço, a minha cara metade chegou a casa e com o já habitual semanário "Expresso", trazia também a revista, porque "sabia que a ias comprar, de qualquer forma". E é verdade, eu acabaria por comprar este número da revista, por ser o primeiro, quanto mais não fosse para matar o bichinho da curiosidade.
Primeira impressão: desilusão total, a revista é bastante fútil, no formato e no conteúdo. Não me vou queixar do preço, porque só compra quem quer, mas poderia ser bem mais interessante. Começando pela capa, que é má, muito má, não sei que ideia foi a de meter a Mónica Sofia a preto e branco. E depois, que saloíce de pose é aquela? Mas por acaso a menina vai para o mercado vender peixe de mãozinha na anca? E a expressão dela, de quem acabou de levar com o flash da máquina, sem estar à espera. Depois o cenário, formado por calhaus, produção barata e de mau gosto. Quanto à indumentária, aquela cuequinha de gola alta ficaria bem a uma avozinha nos anos 70, talvez. Mas nos dias de hoje, e tendo em conta o prestígio desta revista no estrangeiro, poderiam ter sido menos púdicos, afinal a "revolução dos cravos" já lá vai.

Mas falando agora do seu conteúdo, constata-se que é mais do mesmo. É em (quase) tudo idêntica a uma Maxmen, FHM ou GQ. No mínimo contei cerca de cinco cartoons de página inteira, dando a sensação que estão ali só para encher, para tornar a revista mais volumosa. Temos também o "Conselheiro", qual revista Maria, onde os leitores podem tirar as suas dúvidas sexuais. E depois temos a entrevista central com o jogador de futebol Costinha. Não sei quem teve a ideia de entrevistar o Costinha, nem sei quais as personalidades que se seguirão, mas era totalmente desnecessário. Eu, se quisesse saber mais da vida do Costinha, das duas uma, ou lia uma revista feminina, ou comprava o Record ou o Jogo. Quem é que compra a Playboy para saber o desejo que o Costinha tem de jogar em Itália, ou para saber se sente as pernas a pesar, ou se chegou a privar com a realeza monegasca?! É uma entrevista de *erda e sem conteúdo.

Depois temos umas quantas páginas dedicadas às Ilhas Virgens Britânicas, o "paraíso dos velejadores endinheirados", dizem eles. E isso interessa a alguém, neste país, ainda mais em tempo de crise? Eu se quisesse (e tivesse dinheiro para) viajar para onde viajam os milionários, comprava a revista Volta ao Mundo, ou quanto muito a Evasões.
Mas como nem tudo pode ser mau, e quem vê caras não vê corações, as fotografias da Mónica Sofia até estão boazinhas. A avaliar pela capa, estava à espera de um trabalho bastante mau, mas ela até tem jeito (e corpo) para a coisa e o resultado final satisfaz. Quanto à primeira playmate, não faço a mais menor ideia de quem seja, mas a avaliar pelas fotografias, de certeza que irá adquirir fama a partir de agora.
De um modo geral, acho que poderiam ter apostado mais e melhor na capa, mas é sem dúvida uma revista a não comprar, porque afinal não trouxe nada de novo e comparando com a Playboy brasileira, a nossa é uma revistinha cor-de-rosa, fútil e sem interesse.

3 comentários:

cristina disse...

acho que nao podia estar mais de acordo ctg,o meu marido nao compra essas revistas,mas sei que as vê com os amigos e eu nao me importo nada porque sinceramente acho que nao têm nada de mais...nem conteudo..mas por acaso eu estava curiosa para ver quem era a bomba que ia sair,já que se falava tanto na revista e que iam ter surpresas...mas onde estao as surpresas?acho mesmo que é uma revista normalissima,sim pode ter uma mulher gira e tal,mas nos portuguesas nao somos todos giras? :D
gosto a valer do teu blog,os temas que abordas,muito interessante,sera que podemos trocar de msn?eu nao tenho blog

Maldonado disse...

De facto esta primeira revista tem algumas insuficiências, que espero que sejam superadas nas próximas edições, senão será um fiasco.
Apesar dos pesares, creio que a prestação das modelos não foi má...
A ver vamos as próximas modelos!

Susana disse...

se dissertas assim sobre o que nao gostas..vale a pena saber aquilo que adoras ;) - cristina, o que é que o teu marido diz de trocares msn com um homem que não conheces?