sábado, 18 de julho de 2009

Lidl vs. Modelo/Continente

Sou um consumidor exigente e ir às compras é algo que gosto de fazer e encaro como um agradável desafio. Comparo produtos, preços, vejo datas de validade, alguns ingredientes, comparo promoções, etc, e não vou sempre ao mesmo hipermercado.
Por estes dias fui confrontado com uma publicidade na "Dica da Semana", publicação gratuita semanal das lojas Lidl, em que declaravam "guerra" aos hipermercados Modelo/Continente, anunciando preços mais baratos para os mesmos produtos ou equivalentes (ver imagem). Questiono-me sobre até que ponto este tipo de publicidade é ou não permitida. Em tempos o Pingo Doce tentou fazer algo do género com o Jumbo e a publicidade deixou de existir. Entretanto parece que o Modelo/Continente não ignorou de todo este ataque por parte do Lidl. Ontem fui às compras ao Modelo e na entrada existia um grande cartaz com o mesmo tipo de publicidade. Cerca de dez, quinze produtos, de um lado da marca Continente e do outro do Lidl com os preços afixados, em que os do Modelo/Continente eram mais baratos.
Quanto a mim acho que este tipo de publicidade não funciona e não sendo grande adepto, nem de um nem de outro, acho que ambos ficam a perder. Há cadeias de supermercados bem mais originais na publicidade que não precisam de atacar na concorrência e cujos preços são bem mais baratos. Para além de que a publicidade neste ramo de comércio está a banalizar-se demais. Compreendo que em tempo de crise todos queiram baixar os preços e vender mais barato, mas é preciso atacar a concorrência para atingir objectivos?! Onde está a inovação na publicidade? A originalidade? Aqueles comerciais que ficam no ouvido, cuja frase nos lembramos quando passamos pelo produto nas prateleiras?
E depois estes comparativos de produtos não são de todo fiéis, senão vejamos, comparar uma água "Continente" com uma água "Penacova" ou um azeite "Continente" com um azeite "Chaparro" não é bem a mesma coisa. Ambos os produtos são diferentes, porque quando comparamos dois produtos devemos ter em conta factores como os ingredientes, meios de produção, engarrafamento, denominação, etc. O correcto seria pegar numa água "Vitalis" por um preço x, mais barata que a mesma água "Vitalis" vendida noutro hipermercado. E aí sim, seria concorrência leal.
Acho que os supermercados só têm a perder com a guerra das marcas brancas, porque cada caso é um caso. Mesmo assim acho que o Jumbo ainda é dos que praticam os melhores preços. Comecei por ir ao Jumbo desde que as gasolineiras aumentaram de forma desmesurada o preço dos combustíveis, chego a poupar cerca de 10 cêntimos/litro quando abasteço e recuso-me terminantemente em ir ás grandes gasolineiras. E foi então que comecei a frequentar o hipermercado que me surpreendeu com os preços, chegando a ter produtos 60% mais baratos que noutras superfícies.

3 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Eu sou fiel ao velho pao de Açucar (Jumbo). E penso que as guerras entre supermercados acabam por dar tudo na mesma, porque ha produtos mais baratos nuns e mais caros noutros. Fica ela por ela.

C.Cruz disse...

Daniel:
Tens razão e depois, para quem tem o privilégio de morar numa zona em que existem vários, apenas tem de se escolher.

eu mesma! disse...

eu acho que eles estão juntos nesta campanha.... que ninguem vai alterar os seus hábitos.... ou seja, a campanha foi um fiasco total...quem vai ás compras ao supermercado do sr belmiro vai continuar a ir e quem vai ao lidl tambem... Eu pessoalmente uso o que calha... dando preferencia aos preços mais baixos num raio de 10 kms consigo aceder a : DIA, aLDI, INTERMARCHE, LIDL, MODELO, PINGO DOCE... enfim foi para esses senhores gastarem mais uns milhoes em publicidade e assim decresce os lucros... investindo... beijinhos